União das Freguesias de Alto do Seixalinho, Santo André e Verderena

Caracterização

A freguesia do Alto do Seixalinho foi criada em 09 de Outubro de 1985, tendo como seus limites, a Norte a Via-Férrea principal; a Sul limite sul do Parque da Cidade e Limite do Quinta das Gateiras; a Este a Via Rápida e a Oeste Rua Miguel Bombarda e a Avenida da Escola dos Fuzileiros Navais.

Tem como área total 165,65ha e caracteriza-se por ser a freguesia mais populosa do concelho do Barreiro, com uma população estimada de 20.340 habitantes, segundo os censos de 2001. Para além de um número elevado de estabelecimentos de comércio e serviços há também diversos equipamentos sociais, como Hospital, Palácio da Justiça, Santa Casa da Misericórdia, Auditório Municipal Augusto Cabrita, entre outros.

Possui ainda, mais de 50% da comunidade escolar do concelho do Barreiro.

A freguesia do Alto do Seixalinho possui um conjunto de património edificado no qual se destacam:

Convento da Verderena

A construção deste convento iniciou-se no século XV e foi fundado por D. Francisca de Azambuja, descendente de uma das mais ilustres famílias do Barreiro. Apresenta um programa arquitetónico que privilegia a simplicidade e austeridade, bem como a ausência de riqueza. Foi alvo de várias intervenções, uma das quais no início do século XVIII. Aquando da extinção das ordens religiosas o convento foi transformado em quinta de veraneio. 

Em 1969 o Convento da Madre de Deus da Verderena foi adquirido pelo município do Barreiro, já em estado de degradação. Após o 25 de Abril de 1974, o convento passou a ser utilizado para atividades de índole cultural. O projeto de restauro e recuperação do convento teve em consideração duas preocupações prioritárias: recuperar o traçado original do edifício e adaptá-lo às novas funcionalidades. Desse modo, procurou-se criar um espaço aberto e dinâmico onde se cruzam cultura, informação e lazer. Instalou-se aqui um Pólo da Biblioteca Municipal que dispõe de um Núcleo Multimédia e espaço Infanto-Juvenil. O antigo refeitório dos monges é agora o restaurante do Convento. Os visitantes podem desfrutar de uma refeição num ambiente calmo e agradável.

Parque da Cidade

Em 1927, propriedade dos Condes de Castelo Melhor, a Quinta da Maceda é vendida, para nos seus terrenos ser instalada uma corticeira - a antiga fábrica de cortiça Granadeiro, uma das maiores e mais bem equipadas do Barreiro nos anos 30/40.

Do complexo industrial composto entre outros, por armazéns para escolha, embalagem, depósito de fabrico, caldeiras de cozer cortiça e logradouros, apenas se conservaram a chaminé de tijolo refractário e o Refeitório, actual Edifício Américo Marinho, um pólo cultural do Concelho que acolhe um Centro de Artes Plásticas, um Centro de Novas Tecnologias, uma sala polivalente e o sector das Artes da C.M.B.

O espaço é comprado pelo Município em 1985 e destinado ao Parque Municipal, inaugurado em 2000. O Parque constitui um espaço privilegiado para o Lazer e prática de Desportos. Possui uma zona de merendas, 4 campos de ténis, 2 lagos ligados por uma cascata, parque infantil, relvados para desporto, pistas para skate e para bicicletas todo-o-terreno, parede de escalada, locais para a prática de jogos tradicionais e uma zona de xadrez exterior. Cafetaria com esplanada e três parques de estacionamento que dão apoio aos utentes do parque.

Auditório Municipal Augusto Cabrita 

Inaugurado em Novembro de 2003, o Auditório Municipal Augusto Cabrita é a mais recente oferta cultural do Parque da Cidade e do Concelho do Barreiro. Este espaço multifuncional inclui uma sala de espectáculos com capacidade para 500 lugares, adequado à realização de espectáculos, exposições temporárias, congressos, sessões de cinema, espectáculos teatrais, de dança musicais e outros actos de exibição, representação ou performance e ainda espaços de galeria.